The Demopædia Encyclopedia on Population is under heavy modernization and maintenance. Outputs could look bizarre, sorry for the temporary inconvenience

Dicionário Demográfico Multilíngüe (Português - edição 1969)

RAZÃO de masculinidade nos nascimentos

De Demopædia
Revisão em 14h25min de 11 de fevereiro de 2010 por NBBot (Discussão | contribs) (Hulda Maria Gomes, edição 1969 - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística & Centro Brasileiro de Estudos Demográfico)
(dif) ← Revisão anterior | Revisão atual (dif) | Revisão seguinte → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa
RAZÃO de masculinidade nos nascimentos  


A tábua de fecundidade1 (V. 153-1) ou calendário de fecundidade1 apresenta, em geral, as taxas de fecundidade segundo a idade ou duração do casamento (ou ambas) e, freqüentemente, segundo a ordem do nascimento (611-1.). É, algumas vezes, denominada tábua de funções de fecundidade2. Algumas tábuas de fecundidade contêm a experiência real de coortes de casamentos em relação à procriação, isto é, o comportamento dos cônjuges quanto ao assunto, e as taxas mencionadas no parágrafo 632. Outras mostram o procedimento de diferentes grupos de idade (ou gerações) em determinado ano ou intervalo de tempo. A soma de todas as taxas de fecundidade por idade determina o índice de fecundidade total3 e representa o número de nascimentos por 1.000 mulheres (ou homens) se não ocorressem óbitos e estivessem sujeitas às taxas de fecundidade por idade de uma tábua específica de fecundidade. A taxa bruta de reprodução feminina (711-4) obtida pela multiplicação da taxa de fecundidade total pela proporção de nascimentos femininos é freqüentemente usada. A proporção de nascimentos femininos é o complemento da taxa de masculinidade dos nascimentos4. A razão de masculinidade nos nascimentos5 ou relação de masculinidade nos nascimentos5 é, em geral, expressa pela proporção do número de nascidos vivos do sexo masculino para os do sexo feminino. A proporção de masculinidade nas concepções7, embora de interesse, é de difícil obtenção, devido à escassez de dados relativos ao sexo nos óbitos fetais (410-6*) durante a primeira semana ou mês depois da concepção (602-1).
More...